Home   |    Sobre a UDO   |   Troféu J. Agostinho   |   Academia J. Agostinho   |   Cross Torres Vedras   |   Memorial J. Agostinho   |    Outros Eventos   |    Contactos
Troféu Joaquim Agostinho
Home
Sobre o Troféu
Contactos
2018
  > Troféu Joaquim Agostinho
  > Lista de Participantes
  > Etapas
  > Etapas em Direto
  > Classificações
  > Acreditação OCS
  > Trânsito - condicionamentos
  > Camisolas
  > Comissão de Honra e Organização
  > Cargos Oficiais
  > Mapa
  > Principais Patrocinadores
  > Regulamento Técnico - PT
  > Regulamento Técnico - FR
  > Colaboração Especial
  > Apoios
  > Equipas
2017
2016
2015
2014
Troféu J. Agostinho

Rafael Reis voa para a amarela no Turcifal

Rafael Reis (W52-FC Porto) venceu hoje o prólogo do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho, no Turcifal, e é o primeiro camisola amarela da competição.

O palmelense conseguiu a sétima vitória da temporada com um desempenho de exceção no contrarrelógio individual de 8 quilómetros, que completou em 10m19s, à média de 46,527 km/h. Rafael Reis deixou o segundo classificado, o colega de equipa Gustavo César Veloso, a 15s. O terceiro foi Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 16s.

“Hoje fui mais rápido 24 segundos do que no mesmo percurso no ano passado. É um resultado muito importante, porque comprova a minha evolução e a regularidade que tenho conseguido ao longo do ano. Mostra também que estou no bom caminho para o principal objetivo do ano, que é ajudar a equipa na Volta a Portugal”, afirmou o vencedor, antes de subir ao pódio para vestir a camisola amarela.

A vantagem com que parte para o resto da competição coloca Rafael Reis entre os candidatos ao triunfo final no Troféu Joaquim Agostinho, mas o corredor prefere esperar para ver. “Esta corrida tem um percurso muito duro para mim, mas temos na equipa ciclistas para os quais este percurso não é um problema, antes pelo contrário. Penso que poderei ser útil ajudando-os, mas, depois da chegada ao Montejunto, terei uma noção mais exata do que poderei fazer pessoalmente nesta prova”, confidencia o comandante da geral.

“A fase da época em que eu tinha objetivos pessoais já passou e agora estou na altura da época em que a missão principal é trabalhar para o coletivo”, admite Rafael Reis.

A tónica de Rafael Reis no coletivo tem correspondência com o desempenho da W52-FC Porto, que comanda por equipas e terminou o prólogo com três homens no top 10. O colombiano Aldemar Reyes (Manzana Postobon), um trepador de referência do pelotão internacional de sub-23, é o melhor jovem. Gastou mais 39 segundos do que o vencedor do prólogo, mas tem margem para progredir nas etapas mais duras.

A primeira etapa em linha disputa-se nesta sexta-feira e é uma das mais exigentes da competição. Arranca às 11h45, na Adega Cooperativa de S. Mamede da Ventosa, e termina, depois de percorridos 179 quilómetros, no alto de Montejunto. A meta coincide com uma contagem de montanha de primeira categoria. É uma escalada de 5,9 quilómetros (desde Pragança) com uma inclinação média de 7,4 por cento.

Classificação do Prólogo e Geral Individual
1.º Rafael Reis (W52-FC Porto), 10m19s (Média: 45,527 km/h)
2.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), a 15s
3.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 16s
4.º Alejandro Marque (LA Alumínios-Antarte), a 20s
5.º Mikel Bizkarra (Euskadi Basque Country-Murias), a 24s
6.º Sergey Shilov (LOkosphinx), a 25
7.º Dmitry Sokolov (Lokosphinx), mt
8.º Jesús Ezquerra (Sporting-Tavira), a 26s
9.º José de Segóvia (Louletano-Hospital de Loulé), a 27s
10.º Raul Alarcón (W52-FC Porto), mt

Classificação Completa: Clique Aqui

Álbum Fotográfico: Clique Aqui
« Voltar
UDO © 2015 - Todos os Direitos Reservados. Site Desenvolvido por: CyclopNet - Desenvolvimento de Sites Profissionais